segunda-feira, 11 de setembro de 2017

#7 Lirismos: Soneto de Separação – Vinicius de Moraes

Postagem: Eric Silva
De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez-se o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente.

Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.


Sobre o autor

Vinicius de Moraes foi um poeta, dramaturgo, jornalista, diplomata, cantor e compositor brasileiro. Nasce na cidade do Rio de Janeiro, em 19 de outubro de 1913, e morreu na mesma cidade no dia 9 de julho de 1980. Ficou famoso por seus sonetos e pelo lirismo de sua obra poética, contudo seu trabalho é vasto e compreende desde a literatura até o teatro, o cinema e a música. Sua composição "Garota de Ipanema", feita em parceria com Antônio Carlos Jobim, é considerado como um hino da MPB.
















Poema extraído do livro Antologia Poética, publicado em 1976, pela editora J. Olympio.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Últimas Postagens